Notícias

Voltar

Cristo Redentor e Maracanã se iluminam de verde para lembrar vítimas de acidentes de trabalho

Data de criação: 29//2020 10:30:00

Dois dos principais cartões postais do Rio de Janeiro - o Cristo Redentor e o estádio do Maracanã - foram iluminados com a cor verde, na noite desta terça-feira (28/4), em referência ao Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho. A ação faz parte da programação do movimento Abril Verde - que tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância da prevenção de acidentes e doenças do trabalho – e é resultado de uma parceria entre o Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro (MPT-RJ) e o Tribunal Regional do Trabalho da 1° Região (TRT/RJ), com o apoio da Arquidiocese do Rio de Janeiro, do Santuário do Cristo Redentor e da administração do estádio Jornalista Mário Filho.

montagem com duas fotos, uma do cristo e outra do maracaã iluminados de verde
À esquerda, Cristo Redentor iluminado de verde. À direita, estádio do Maracanã

Segundo dados do Observatório Digital de Saúde e Segurança no Trabalho (MPT/OIT), a cada 49 segundos ocorre um acidente de trabalho no Brasil, país que ocupa o 4º lugar mundial no ranking de acidentes laborais.

Em 2020, em razão da pandemia mundial de covid-19, as ações e eventos do Programa Abril Verde são destinados a chamar a atenção da sociedade para a importância da proteção da saúde e da segurança dos trabalhadores de atividades essenciais, em especial, dos profissionais da saúde, que seguem em seus postos de trabalho atendendo à sociedade no enfrentamento das graves consequências dessa doença.

Programa Trabalho Seguro

O TRT/RJ e a Justiça do Trabalho estão engajados no Abril Verde por meio do Programa Trabalho Seguro, cujos gestores, no âmbito do Regional fluminense, são o desembargador Alexandre Teixeira de Freitas Bastos Cunha e o juiz do trabalho substituto Francisco Montenegro Neto. Confira, abaixo, as reflexões de ambos os magistrados em razão da proximidade do encerramento da campanha: 

"Todos nós queremos trabalhar e voltar para casa. A pandemia impõe uma nova realidade. De um lado, para aqueles que atuam em atividades que exigem sua presença física. Nesse caso, mais que nunca, o uso dos EPIs é imperativo para a integridade física e a proteção dos demais. De outro lado, para os que estão trabalhando a distância, é importante delimitar até onde vai o trabalho e o ponto em que a vida íntima tem seu espaço. Tal delimitação é importante para a saúde psíquica do trabalhador e para sua socialização. Enfim, todos nós somos confrontados com a possibilidades abertas pela crise. Oxalá o cenário pós-pandêmico seja de reconstrução de vínculos econômicos, ambientais e sociais. Com trabalho e segurança para todos e todas" - desembargador Alexandre Teixeira de Freitas Bastos Cunha.

"Em tempos de pandemia, a reflexão e a busca pelo autoconhecimento e aperfeiçoamento de si próprio levam cada indivíduo a superar, dentro de si, todos os preconceitos que induzem às discriminações no mundo do trabalho, dentre as quais a de gênero se revela como algo que deve ficar para trás, no mundo pré-pandemia, que não existe mais" - juiz Francisco Montenegro Neto.

Quer saber mais sobre desigualdade de gênero na pandemia de covid-19? Confira amanhã (30/4) o artigo que será publicado sobre o tema, encerrando o movimento Abril Verde. 

 

assinatura_AIC