Memória

Memória

Em celebração ao centenário de nascimento de Arnaldo Lopes Süssekind, o Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região, em parceria com o Tribunal Superior do Trabalho (TST), lançará no Centro Cultural do TRT exposição com fotos, documentos e objetos pessoais do jurista que ajudam a contar a história da Justiça do Trabalho.
O Centro Cultural, localizado no térreo do Prédio-Sede, na Avenida Presidente Antônio Carlos, nº 251, Centro do Rio de Janeiro, está aberto de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h30.
 
 
Arnaldo Süssekind na Biblioteca da Associação de Magistrados da Justiça do Trabalho da 1ª Região.
Arnaldo Süssekind na Biblioteca da Associação de Magistrados da Justiça do Trabalho da 1ª Região.
 
 
Placa de Honra ao Mérito em Comemoração aos 70 Anos da Justiça do Trabalho concedida pela OAB-RJ e pela Comissão da Justiça do Trabalho.
Placa de Honra ao Mérito em Comemoração aos 70 Anos da Justiça do Trabalho concedida pela OAB-RJ e pela Comissão da Justiça do Trabalho.
 
 
Jornal com títumo do "O Invisível Trovador" e a Prova Final
Em outubro de 1937, Arnaldo Süssekind foi vencedor de um concurso de cantores que promoveu o filme "O Invisível Trovador", interpretando a música Que linda és tu, na Rádio Nacional. Inscrito sob o pseudônimo "Patativa", sua identidade só foi revelada após o resultado final.
Imagem: Reprodução do jornal A Noite de 4/10/1937, p. 1. Arnaldo Süssekind, ainda incógnito, está diante do microfone, entre os dois outros finalistas.
 
 
Notícia sobre o nascimento de Arnaldo Süssekind. Jornal "O Imparcial". 18 de julho de 1917.
Notícia sobre o nascimento de Arnaldo Süssekind. Jornal "O Imparcial". 18 de julho de 1917.
 
 
Marília Süssekind, José de Segadas Viana, Alexandre Marcondes Filho e Arnaldo Süssekind em uma apresentação do Teatro Operário. Teatro Ginástico Português, Rio de Janeiro, 1944.
Marília Süssekind, José de Segadas Viana, Alexandre Marcondes Filho e Arnaldo Süssekind em uma apresentação do Teatro Operário. Teatro Ginástico Português, Rio de Janeiro, 1944.
 
 
Carteira de Ministro do Tribunal Superior do Trabalho, cuja posse ocorreu em 3/12/1965. Aposentou-se em 26/8/1971.
Carteira de Ministro do Tribunal Superior do Trabalho, cuja posse ocorreu em 3/12/1965. Aposentou-se em 26/8/1971.
 
 
Palestra no Clube dos Advogados em 16 de agosto de 1973. Ao lado o amigo e jurista, Délio Maranhão, Juiz do Trabalho e Ex-Presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região.
Palestra no Clube dos Advogados em 16 de agosto de 1973. Ao lado o amigo e jurista, Délio Maranhão, Juiz do Trabalho e Ex-Presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região.
 
 
Time de futebol do gabinete do Ministro do Trabalho, Indústria e Comércio, Marcondes Filho. Campo Valentim Bouças, Rua Pompeu Loureiro, bairro de Copacabana. Evaristo de Moraes Filho é o primeiro da direita para a esquerda, em pé. O segundo é Arnaldo Süssekind, o terceiro é Délio Maranhão, o quarto é Marcondes Filho, o quinto é Brígido Tinoco, o sexto é Trindade e o sétimo é Bezerra.
Time de futebol do gabinete do Ministro do Trabalho, Indústria e Comércio, Marcondes Filho. Campo Valentim Bouças, Rua Pompeu Loureiro, bairro de Copacabana. Evaristo de Moraes Filho é o primeiro da direita para a esquerda, em pé. O segundo é Arnaldo Süssekind, o terceiro é Délio Maranhão, o quarto é Marcondes Filho, o quinto é Brígido Tinoco, o sexto é Trindade e o sétimo é Bezerra.
 
 
Integrantes da Comissão que elaborou a CLT. (Da esquerda para a direita: Luiz Augusto Rego Monteiro, Oscar Saraiva, Alexandre Marcondes Filho (Ministro do Trabalho), Arnaldo Süssekind, Dorival Lacerda e Segadas Vianna).
Integrantes da Comissão que elaborou a CLT. (Da esquerda para a direita: Luiz Augusto Rego Monteiro, Oscar Saraiva, Alexandre Marcondes Filho (Ministro do Trabalho), Arnaldo Süssekind, Dorival Lacerda e Segadas Viannal|).
 
 
Entrega do Projeto de Consolidação das Leis do Trabalho ao Ministro do Trabalho, Indústria e Comércio, Alexandre Marcondes Filho, Rio de Janeiro (DF), 1943.
Arnaldo Süssekind e a CLT: "O Ministro Alexandre Marcondes Filho foi nomeado para a pasta do Trabalho, Indústria e Comércio no dia 2 de janeiro de 1942 e me chamou para ser um dos seus assistentes. (...) com a criação da Justiça do Trabalho, fui nomeado chefe da Procuradoria Regional do Trabalho em São Paulo. O ministro quis prestigiar a Procuradoria de São Paulo e me trouxe como seu assistente (...). Isso explica por que, com 24 anos, integrei esse grupo: eu era assistente do ministro, e ele queria ter uma pessoa de trato cotidiano na comissão, para lhe dizer o que estava sendo feito, combinar as coisas com ele, etc. Depois, Rego Monteiro e eu fomos diversas vezes ao Presidente Getúlio Vargas, junto com o ministro Marcondes, para explicar as inovações. Marcondes fazia questão de que Getúlio autorizasse as inovações que fossem feitas."